h1

Seven Pounds

janeiro 13, 2009

Pelo que andei ouvindo por aí, “Sete Vidas” (Seven Pounds, EUA, 2008 ) não tem agradado muito ao público e à crítica. Não sei explicar o motivo, porque eu realmente gostei. Não amei, mas gostei muito. O roteiro é bem amarrado, apesar de clichê. E eu não fiquei entediada com a história, mas confesso que demorou um pouquinho além da conta para que a trama se revelasse pra mim.

O que me levou ao cinema foi o Gabriele Muccino, diretor italiano que sempre apresenta um excelente resultado nas telas. Pra quem não conhece, foi ele quem dirigiu o “L’Ultimo Bacio” e “The Pursuit of Happyness”. Neste último, estreou a dobradinha com Will Smith, que, aliás, está sensacional em “Sete Vidas”.

Acho, realmente, que o filme foi feito com a intenção de fazer chorar. O roteiro não é muito original, mas aí entra o mérito do diretor, que conseguiu tirar o melhor dele e soube tratar muito bem a moral, o amor, o arrependimento, o perdão, a vida e a morte. “Sete Vidas” não é o filme do ano – e está longe de ser -, mas vale muito a pena.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: